31 de mar de 2010

SÍNDROME DE MUNCHAUSEN

Como funciona a síndrome de Munchausen


1. Introdução


2. Causas da síndrome de Munchausen


3. Síndrome de Munchausen por procuração


4. Sinais da síndrome de Munchausen por procuração


5. Tratamentos para a síndrome de Munchausen


6. Mais informações


1) INTRODUÇÃO

A maioria das pessoas tenta evitar ficar doente.

Uma pequena porcentagem das pessoas, no entanto, aprecia a idéia de ir ao médico, submeter-se a exames e, até mesmo, fazer uma cirurgia dolorosa.

Apesar de saberem que não estão doentes de verdade, as pessoas com síndrome de Munchausen fingem estar doentes porque estão em busca de atenção e compaixão.

As pessoas com síndrome de Munchausen costumam causar as próprias doenças .

A síndrome de Munchausen é um distúrbio mental estranho, mas muito real.

É o tipo mais severo de doença simulada, um conjunto de distúrbios em que as pessoas intencionalmente exageram, inventam ou causam os sintomas da doença.

É difícil saber exatamente quantas pessoas têm a síndrome de Munchausen, porque a maioria delas é especialista em esconder seu comportamento.

Algumas adotam nomes falsos e vão para áreas diferentes para evitar serem descobertas.

Em 1951, o médico britânico Richard Asher descreveu o distúrbio pela primeira vez na revista de medicina The Lancet.

Ele nomeou a doença em homenagem ao Barão von Munchausen, um oficial militar alemão do século XVIII, que contava histórias muito exageradas sobre sua vida.

A síndrome de Munchausen não é a mesma coisa que a hiponcondria (em inglês), um distúrbio em que as pessoas realmente acreditam estarem doentes.

Aquelas com Munchausen sabem que estão saudáveis, mas querem estar doentes.
Tambem é diferente do fingimento, em que as pessoas fingem estar doentes para obter ganhos financeiros (como ganhar um processo judicial) ou para fugir do trabalho.

Neste artigo, vamos dar uma olhada nos mistérios da síndrome de Munchausen, assim como na parecida síndrome de Munchausen por procuração, e descobrir por que alguém se machucaria ou machucaria outra pessoa apenas para conseguir atenção.

2) CAUSAS DA SÍNDROME DE MUNCHAUSEN

Os pesquisadores não sabem exatamente o que causa a síndrome de Munchausen, mas eles acreditam que os riscos incluem:

•histórico de abuso sexual, físico ou emocional;


•doença séria durante a infância;


•parente que estava muito doente ou que tenha morrido;


•carreira na área de saúde ou um desejo de trabalhar como profissional da saúde;


•auto-estima baixa;


•distúrbio de personalidade, como comportamento; autodestrutivo, personalidade passivo-agressiva ou baixo controle de impulso.

A síndrome de Munchausen pode ocorrer em qualquer idade; no entanto, a maioria das pessoas que tem essa doença é jovem ou está na meia-idade.

As pessoas com síndrome de Munchausen vão a extremos para fazer de conta que estão doentes.

Elas podem fingir que estão doentes modificando os instrumentos, como, por exemplo, aquecendo um termômetro, alterando amostras de sangue ou urina, ou podem causar os sintomas injetando substâncias estranhas, como, toxinas em seus corpos ou tomando remédios desnecessários.

Alguns dos sintomas da síndrome de Munchausen são:

•que se encaixam perfeitamente na descrição clássica de uma doença, mas que não podem ser controlados com tratamentos;


•ânsia de se submeter a diferentes exames e procedimentos, não importa o quão desconfortáveis ou dolorosos eles sejam;


•histórico médico incoerente;


•vontade de se consultar com diferentes médicos e hospitais, algumas vezes de várias áreas;


•profundo conhecimento da doença e dos procedimentos hospitalares;


•recusa em deixar os médicos conversarem com familiares ou amigos.

A síndrome de Munchausen pode causar problemas de saúde reais porque a pessoa toma remédios e se submete a procedimentos desnecessários.

Ela também pode aumentar o risco de suicídio, interferir no trabalho e no relacionamento familiar e até levar à morte.


Munchausen na mídia


Levando em consideração a natureza dramática da síndrome de Munchausen por procuração, não é de admirar que ela tenha sido mencionada em filmes, programas de TV e até mesmo em letras de músicas.

Aqui estão apenas alguns deles:

•"O Sexto Sentido" - o personagem de Haley Joel Osment, no filme de 1999, conhece uma menina morta que mostra a ele uma fita de vídeo em que sua mãe a envenena.


•"Arquivo-X" - Mulder e Scully investigam um possível caso de síndrome de Munchausen por procuração.


•"ER" --­ Luka descobre que a mãe de um paciente pode ser a causa dos vários procedimentos médicos que a criança tem que sofrer. Quando os médicos mostram para a mãe um vidro que supostamente contém peróxido, eles conseguem pegá-la em flagrante.


•Em sua música de 2002 "Cleaning Out My Closet", o rapper Eminem, acusa sua mãe de ter síndrome de Munchausen por procuração, com a letra: "indo para clínicas públicas, vítima de síndrome de Munchausen; durante minha vida inteira me fez acreditar que eu estava doente, quando na verdade eu não estava..."
 
 
3) SÍNDROME DE MUNCHAUSEN POR PROCURAÇÃO
 
No fim da década de 1970, um pediatra britânico, chamado Roy Meadow, publicou a descrição de dois casos médicos desconcertantes.

Em um caso, uma garota de 6 anos, chamada Kay, foi internada no hospital 12 vezes por uma infecção no trato urinário (em inglês) e medicada com oito antibióticos diferentes, tudo isso sem sucesso.

No outro caso, um garoto de 1 ano e 2 meses, chamado Charles, foi hospitalizado muitas vezes com sonolência e vômitos que não tinham uma causa médica aparente.

Meadow acabou descobrindo que os dois casos, apesar de parecerem diferentes, tinham muito em comum. A mãe de Kay alterou as amostras de urina para parecer que a criança estava doente.

A mãe de Charles induziu a doença dando grandes quantidades de sal ao garoto, que acabou morrendo.


Os pais com síndrome de Munchausen por procuração fingem que seus filhos estão doentes.
 
Meadow chamou essa doença, em que os responsáveis intencionalmente falsificam informações ou causam danos a seus próprios filhos para conseguir compaixão, de síndrome de Munchausen por procuração.
 
Por procuração significa "por meio de um substituto".
 
O responsável, e não a pessoa doente, é quem está fingindo ou causando a doença.

A síndrome de Munchausen por procuração também foi chamada de síndrome de Polle, por causa do filho do Barão von Munchausen, chamado Polle, que segundo relatos morreu sob circunstâncias misteriosas próximo da época em que faria um ano.

Alguns especialistas, no entanto, dizem que as informações históricas estão incorretas e o termo não é mais usado.

Essa doença é muito rara - existem apenas cerca de mil casos por ano, de acordo com as melhores estimativas.

O cenário mais comum é uma mãe fingindo que seu filho está doente ou deixando a criança doente porque ela deseja a compaixão que recebe como resultado disso.

A mãe pode mudar os resultados de exames, por exemplo, colocando uma substância estranha em um exame de urina, injetar substâncias químicas na criança, negar comida, sufocar a criança ou dar remédios para causar-lhe vômitos.

Em seguida, a mãe insiste que a criança seja submetida a vários exames e procedimentos para tratar o suposto problema.

Como a vítima é uma criança, a síndrome de Munchausen por procuração é considerada uma forma de abuso infantil.

Uma pessoa que sofre de síndrome de Munchausen por procuração pode estar em busca de atenção porque sofreu abusos ou perdeu um dos pais quando era criança, por estar passando por problemas sérios no casamento ou uma outra grande crise de estresse.

Ser visto como uma mãe ou um pai atencioso pela equipe do hospital é uma maneira de receber o reconhecimento que ela ou ele pode não ter recebido de outra maneira.

4) SINAIS DA SÍNDROME DE MUNCHAUSEN POR PROCURAÇÃO
 
Os sinais da síndrome de Munchausen por procuração incluem:

•criança que é freqüentemente hospitalizada com sintomas incomuns e inexplicáveis que parecem desaparecer quando o responsável não está presente;


•sintomas que não condizem com os resultados dos exames da criança;


•sintomas que pioram em casa, mas melhoram quando a criança está sob cuidados médicos;


•remédios ou substâncias químicas no sangue ou na urina da criança;


•irmãos da criança que morreram sob circunstâncias estranhas;


•responsável que é preocupado demais com a criança e excessivamente disposto a obedecer os profissionais da saúde;


•responsável que é enfermeiro ou trabalha na área de saúde.
 

Os médicos muitas vezes não conseguem descobrir o que há de errado quando o responsável por uma criança que sofre de síndrome de Munchausen por procuração.
 
As vítimas da síndrome de Munchausen por procuração têm que fazer exames e tratamentos desnecessários que podem ser dolorosos ou perigosos.
 
Como o responsável parece estar preocupado de verdade, muitas vezes é difícil para o médico descobrir o problema antes que seja tarde demais.
 
Essa dificuldade em diferenciar a síndrome de Munchausen por procuração de uma doença real já resultou em uma série de alegações falsas contra os pais.
 
Pegos pela câmera


Na década de 1990, o Dr David Southall, da Inglaterra (em inglês), realizou uma experiência usando câmeras de vigilância escondidas em quartos de um hospital para flagrar as pessoas suspeitas de sofrerem de síndrome de Munchausen por procuração.
Suas câmeras de vídeo (em inglês) capturaram imagens horríveis de mães sufocando e envenenando suas crianças.
Dos 39 suspeitos que ele gravou, 34 foram flagrados machucando seus filhos e os outros cinco admitiram, depois, terem matado as crianças.
Embora Southall tenha sido considerado o defensor das crianças em alguns círculos, ele foi difamado como inimigo das mães em outros.
 Muitos pais foram enviados para a prisão e alguns afirmam terem sido acusados injustamente, com base nas evidências que ele forneceu.
Em 2004, Southall foi considerado culpado por um grave delito profissional depois de ter feito uma acusação falsa de que um homem havia matado seus filhos, e foi temporariamente impedido de trabalhar com vítimas de abuso infantil.

5) TRATAMENTOS PARA A SÍNDROME DE MUNCHAUSEN

Os dois tipos de síndrome de Munchausen são difíceis de serem tratados porque as pessoas que têm esses distúrbios não estão dispostas a admitir que têm um problema.

Os médicos têm que investigar o histórico do paciente e realizar exames para confirmar se o problema é psicológico e não físico.


O tratamento da síndrome de Munchausen geralmente envolve aconselhamento psiquiátrico para modificar as idéias e os comportamentos que estão causando o distúrbio.

Algumas vezes remédios podem ajudar a diminuir a depressão (em inglês) ou a ansiedade, se elas forem as causas.

Quando o caso é de síndrome de Munchausen por procuração, é importante afastar a criança do responsável antes que qualquer outro dano seja causado.

A criança pode precisar de tratamento em razão das complicações físicas por ter se submetido a exames e procedimentos desnecessários e também pelas cicatrizes psicológicas do abuso.




Os médicos têm que fazer muitas investigações para descobrir que um paciente sofre de síndrome de Munchausen.

Casos famosos


•William McIlhoy conseguiu entrar para o Livro Guinness dos Recordes, mas ele não tinha muitos fãs no Serviço Hospitalar Nacional da Grã-Bretanha.
Depois de 400 operações em 100 hospitais diferentes, McIlhoy acumulou uma dívida de US$ 4 milhões em contas médicas.
A famosa vítima da síndrome de Munchausen morreu em um asilo em 1983.

•Todos os nove filhos de Marybeth Tinning morreram entre 1972 e 1985, muitos deles sob circunstâncias misteriosas.
A cada vez, ela fazia fielmente o papel de uma mãe atormentada e se aproveitava da compaixão dos outros. Quando ela finalmente foi presa, em 1986, admitiu ter sufocado suas crianças com um travesseiro.
Como muitas vezes acontece com os cônjuges dos pais com síndrome de Munchausen por procuração, o marido dela não interveio, apesar de suas suspeitas.
Quando foi entrevistado, ele disse que "você tem de confiar em sua esposa.
Ela tem as coisas dela para fazer e, enquanto ela as faz, você não faz perguntas" [fonte: Crime Library]. Marybeth Tinning foi condenada por assassinato em 1987 e sentenciada a 20 anos na prisão.

•Quando cinco das seis crianças de Waneta Hoyt morreram entre 1965 e 1971, os médicos suspeitaram de síndrome da morte súbita infantil -SMSI (em inglês).
O caso apareceu em importantes revistas médicas.
Quando o promotor William Fitzpatrick, de Nova York, leu sobre o caso, porém, teve algumas suspeitas.
Sua investigação resultou na prisão de Hoyt, em 1994.
Quando ela foi interrogada, sucumbiu e admitiu ter matado suas crianças em uma tentativa de fazê-las ficarem quietas. Hoyt foi condenada à prisão perpétua.

6) MAIS INFORMAÇÕES

•Violência infantil - Física 


•Entendendo a síndrome da morte súbita infantil 

•Os cientistas descobriram o que causa a SMSI?



Violência Infantil  - Física


Os sinais físicos de abuso de criança costumava ser chamado de síndrome da criança espancada.

Esta síndrome se refere às fraturas múltiplas em diferentes estados de cura.

As fraturas ocorreram em tempos diferentes em crianças muito jovens para terem recebido as fraturas como resultado de um acidente.

A definição de abuso de crianças, desde então, expandiu-se significativamente.

Abuso físico ou trauma não-acidental da criança não se refere apenas às fraturas múltiplas em diferentes idades, mas inclui também inúmeros outros sinais de lesão.

O abuso físico tende a ocorrer em momentos de maior estresse, quando alguém golpeia para fora em raiva na criança.

Muitos daqueles que cometem abuso físico ter sido abusado sexualmente quando criança.

Como resultado, muitas vezes eles não percebem que o abuso é a disciplina não é adequado.

Aqueles que cometem abuso físico também têm freqüentemente fraco controle de impulso, que as impede de pensar sobre o que acontece como resultado de suas ações.

Porque os adultos são muito mais fortes e maiores do que as crianças, uma criança abusada pode ser seriamente ferido ou morto por acidente.

Por exemplo, apertando um bebê, especialmente se a cabeça bate em algo, mesmo contra um objeto macio como um colchão ou travesseiro, pode causar sangramento durante o cérebro (hematoma subdural).

Isso pode causar danos cerebrais permanentes ou morte. (síndrome do bebê sacudido).

Infelizmente, a taxa de abuso de crianças é bastante elevada.

A forma mais comum é a negligência. Contas de abuso de crianças, pelo menos, 1.400 mortes de crianças a cada ano.

Os principais fatores de risco para alguém abuso de uma outra pessoa incluem:

.Pobreza

.Falta de educação

.Sendo um único progenitor

.Alcoolismo

.Abuso de drogas Outros

Sintomas:

Adulto pode levar uma criança ferida para um pronto-socorro com uma estranha explicação da causa da lesão.

Ferimento da criança pode não ser recente.

Os sintomas incluem:

.Ossos quebrados que são incomuns e inexplicáveis

.Bruise marcas em forma de mãos, dedos ou objetos (como um cinto)

.Contusões em áreas onde as atividades normais da infância não costumam resultar em contusões

.Burn (escaldar) marca, visto quando uma criança é colocada em água quente como uma punição - principalmente "luva" ou "meias" queimar padrões

.Burns de um fogão elétrico, radiador, aquecedor ou outros objetos quentes, geralmente visto em mãos da criança, braços e nádegas

.Queimaduras de cigarro em áreas expostas ou os órgãos genitais

.Olhos Preto em um infante ou uma lesão, semelhante inexplicável em uma criança

.Marcas de mordida, humanos

.Lash marcas

.Choke marcas no pescoço

.Marcas circulares em torno dos pulsos e tornozelos (indicando torção ou amarrar)

.Suturas separadas

.Bulging fontanela

.Evidência de lesão abdominal sem explicação (como machucado ou intestinos rompido devido à perfuração)

.Inconsciência inexplicável em lactente

Sinais e exames

Lesões típicas de crianças vítimas de abuso incluem:

.Sangramento na parte posterior do olho, visto com síndrome do bebê sacudido ou um golpe direto à cabeça

.Danos internos, tais como hemorragia ou ruptura de um órgão de trauma

.Qualquer fratura em uma criança jovem demais para andar ou engatinhar

.Evidência de fraturas na ponta dos ossos longos ou espiral fraturas tipo que resultam de torção

.Costelas fraturadas, especialmente na parte de trás

.Evidência de fratura de crânio (múltiplas fraturas de idades diferentes podem estar presentes)

.Hematoma subdural (coleção de sangue no cérebro), sem qualquer explicação plausível

.Contusões múltiplas que ocorreram em momentos diferentes - especialmente em áreas incomuns do corpo ou nos padrões que sugerem engasgo, torcer, bater ou grave, com objetos ou as mãos

.Outros danos à pele incomuns, incluindo queimaduras ou cicatrizes de queimaduras

Os seguintes testes podem revelar lesões físicas:

.Bone x-ray - um exame do esqueleto é feito sempre que o abuso físico é suspeita. Todos os ossos da criança, incluindo o crânio, são radiografados para olhar para as fraturas invisível ou velho, curar fraturas.

.Ressonância magnética ou tomografia computadorizada da cabeça ou no abdômen é feito se houver uma fratura do crânio, hemorragia nos olhos, vômitos inexplicáveis, grave contusão da face, crânio e abdômen, ou sintomas neurológicos inexplicáveis, dores de cabeça ou perda de consciência.

As seguintes condições médicas têm sintomas semelhantes ao abuso físico:

.A osteogênese imperfeita - quase todas as crianças com essa condição têm um anormal (azul) coloração do branco dos olhos. Estas crianças podem ter fraturas espontâneas ou quebrar os ossos após um acidente normal que não iria prejudicar os ossos de uma criança normal.

.Undetected distúrbios hemorrágicos como a hemofilia, doença de Von Willebrand, ou doença hepática pode levar a padrões anormais de contusões. O médico pode testar para esses transtornos.

.Insólito padrões de hematomas e cicatrizes podem ser causadas pela medicina popular ou práticas da medicina oriental como esfregar moeda, colocando, e ervas queimando na pele sobre os pontos de acupuntura (chamada moxabustão). O médico deve sempre perguntar sobre práticas de cura alternativas.

Tratamento:

Os ferimentos físicos específicos que são tratados como apropriado.

Aconselhamento ou uma intervenção de algum tipo para os pais é obrigatória.
Em alguns casos, a criança pode ser temporária ou permanentemente removidos da casa para evitar o perigo maior.
A vida em risco de abuso, ou abuso, resultando em danos permanentes no bebê ou criança, pode resultar em ação legal.
Aconselhamento, incluindo terapêutica jogo, também é necessária para crianças maltratadas durante 2 anos. Falta de ajudar a criança a lidar com o medo ea dor resultante de abuso por adultos, que devem ser confiáveis figuras, pode levar a sérios problemas psicológicos, como estresse pós-traumático (TEPT).
Todos os estados exigem que você relate qualquer conhecimento ou suspeita de abuso infantil. Chame a polícia e Proteção à Criança Serviços.
As decisões sobre a colocação da criança com um cuidador fora ou devolver o filho para a casa geralmente são feitos pela agência governamental apropriada através do sistema judicial. A estrutura das agências varia de estado para estado.

Grupos de Apoio:

Os grupos de apoio estão disponíveis para sobreviventes de abuso e de pais abusivos que deseja obter ajuda. Veja a página de recursos para informações de contato.

Expectativas (prognóstico):

Recuperação física da criança depende da gravidade dos ferimentos.
Recuperação psicológica depende dos resultados da psicoterapia e se a criança pode desenvolver relações de confiança com os adultos cuidadores.
As autoridades vão determinar se o agressor recebe ajuda psiquiátrica, tais como a formação de pais e de impulso / formação em gestão de raiva.
Agências de proteção para crianças em geral, todos os esforços para reunir as famílias quando possível.

Complicações:

O abuso físico de uma criança pode levar a graves danos cerebrais, mutilação, cegueira, aleijão, e morte. Abused indivíduos podem realizar as cicatrizes emocionais de uma vida.
As crianças podem ser removidas permanentemente da custódia dos pais, se os pais são os agressores e que a causa é suficiente para justificar a rescisão dos direitos parentais.
No entanto, esta experiência própria pode resultar em sérios problemas psicológicos devido a sentimentos de rejeição, ou se a colocação não resultar em um forte apego a longo prazo para novos cuidadores.

Chamar seu fornecedor de cuidados de saúde :

Chamar seu fornecedor de cuidados de saúde, serviços protetores da criança, ou a polícia local se você suspeitar ou saber que alguém está sendo abusada.

Prevenção:

Reconhecer os sinais de advertência do abuso potencial. Por exemplo, um cuidador pode:

.Anteriormente abusado de uma criança

.Falha para manter a higiene adequada da criança ou cuidados

.Aparecer para o amor ou a falta preocupação

.Tem problemas de álcool ou drogas

.Doença,têm problemas emocionais ou mentais

.Foi abusado como uma criança

.Tem fatores de estresse elevado, incluindo a pobreza

Aulas de Aconselhamento ou paternidade pode prevenir o abuso, quando algum desses fatores estão presentes.

Vigilante de orientação e apoio da família, amigos, clero, ou outras pessoas de suporte pode prevenir o abuso ou permitir a intervenção precoce em casos de abuso.



Entendendo a Síndrome de Morte Súbita Infantil


Um dos grandes mistérios e trágica de crianças é Síndrome da Morte Súbita Infantil, que agora sabemos que não é necessariamente culpa dos pais, irmãos ou até mesmo babás, mesmo que eles se tornam vítimas de SIDS adicionais, como o resultado, infelizmente, pode levar a desintegração da família.

Aqueles que lidam com SIDS deve procurar ajuda, e eles devem evitar a culpa e sentimentos de culpa. Neste artigo, vamos ajudá-lo a compreender SIDS, incluindo:

As causas da SMSI

Síndrome da Morte Súbita Infantil, ou SMSL, não é nada novo, embora já foi atribuída à mãe de rolamento para seu bebê durante o sono.

Agora sabemos que não é verdade, mas o que causa SIDS ainda é um mistério.

O bebê aparentemente pára de respirar e morre durante o sono sem sofrimento.

Lactentes mais jovens correm maior risco de SIDS, apesar de não menos de um mês de idade.

Fatores associados à síndrome da morte súbita do lactente incluem roupa de cama macia ou bichos de pelúcia no berço, que pode causar asfixia, fumaça de cigarro, excesso de calor, deitado sobre a barriga, ou nascimento prematuro.

Superando culpa sobre a SIDS

Síndrome da Morte Súbita Infantil faz mais vítimas do que apenas o próprio bebê.

Pais, irmãos, babás e até muitas vezes se sentem responsáveis pela morte prematura.

O trauma infeliz resultando às vezes leva à desintegração familiar: o divórcio, abuso de substâncias, a culpa e graves problemas psicológicos.

Esses dados são apenas para fins informativos.

ELAS NÃO DEVEM SER CONSIDERADAS ORIENTAÇÃO MÉDICA.

Nem os editores do Consumer Guide (R), Publications International, Ltd., o autor ou a editora assumem responsabilidade por quaisquer conseqüências de qualquer tratamento, procedimento, exercício, modificação alimentar, ação ou aplicação de medicação resultante da leitura ou utilização das informações aqui contidas.

A publicação dessas informações não constitui prática de medicina, e esta informação não substitui o conselho de seu médico ou outro profissional de saúde.

Antes de iniciar qualquer tratamento, o leitor deve procurar o aconselhamento do seu médico ou outro profissional de saúde.

Os cientistas descobriram o que causa a SIDS?


A cada ano nos Estados Unidos, quase 2.500 bebês aparentemente saudáveis morrer de síndrome da morte súbita infantil, ou SMSL, antes de serem seis meses de idade.

Accurate números globais são difíceis de vir por causa da natureza de SIDS:

Não é diagnosticado por seus sintomas, é diagnosticada pela ausência de qualquer outra explicação possível para a morte.

Uma morte SIDS acontece enquanto o bebê está dormindo.

É a síndrome que às vezes é chamado de "morte no berço".

Até recentemente, toda a ciência sabia ao certo sobre SIDS foi a de que certos factores ambientais aumentaram o risco de uma criança morrer de repente, incluindo a exposição ao álcool e às drogas, enquanto no útero, parto prematuro, baixo peso ao nascer, a exposição à fumaça de segunda mão após o nascimento, e dormindo em sua barriga.

É esta última que pareceu jogar o maior papel na SMSL, e uma campanha altamente divulgado cerca de uma década atrás tem muitos pais a colocar seus bebês para dormir em suas costas, que rapidamente se reduziu a taxa de SIDS por 40 a 50 por cento.

Há muitas teorias sobre por que o estômago do sono pode causar um bebê parar de respirar.

Talvez a mandíbula do bebê é comprimido pela posição de sua cabeça, por sua vez, comprimindo a via aérea e tornando difícil respirar.

Ou talvez um ar formulários bolso na cama macia, ea criança acaba respirando em seu próprio ar, levando a um acúmulo de dióxido de carbono no corpo.

Mas em ambos os casos, o cérebro do bebê deve enviar um sinal para acordar e começar a chorar porque algo está errado.

Então, talvez um fator pré-existente anatômicas impede o cérebro de que o envio do sinal.



Os investigadores foram à procura de uma prova deste fator de risco anatômico durante décadas.

Sem ele, SIDS é realmente apenas uma morte, aleatórios imprevisíveis que deixa os pais sempre me perguntando se eles fizeram algo errado.

Em uma virada surpreendente para SIDS investigação, um grupo de cientistas publicou o primeiro estudo que faz uma ligação conclusiva entre anatomia e risco de SIDS. É no tronco cerebral.

Segundo os resultados publicados no Diário de novembro de American Medical Association, é possível que pelo menos metade das mortes por SMSI estão relacionadas a um defeito na forma como o tronco cerebral controla um neurotransmissor chamado serotonina.

O tronco cerebral é a parte do cérebro que se conecta a medula espinhal e controla os processos inconscientes, como respiração e ritmo cardíaco, e serotonina faz parte deste sistema de controle.

Os investigadores recolheram os dados da autópsia de 31 crianças que morreram de SIDS e 10 bebês que morreram de outras causas, entre 1997 e 2005.

Em 30 dos 31 casos de SIDS, os dados mostraram um significativo número de neurônios de serotonina defeituosos - células nervosas responsáveis pela produção e processamento de serotonina - no tecido da parte do cérebro chamada tronco da medula.

O número de neurônios de serotonina defeituosas nas crianças SIDS foi duas vezes maior que nos lactentes não-SIDS.

Sem neurônios eficaz para criar caminhos de serotonina no cérebro, os sinais transportados por que a serotonina são perdidas.

Combinado com um fator de risco ambiental, tais como dormir de estômago ou uma infecção pulmonar, uma criança que tenha esse fator de risco inerente anatômica é mais provável que a experiência SMSI que um bebé cuja haste cérebro processa a serotonina normalmente.

Se os neurônios no cérebro de um bebê pode serotonina processo não adequadamente, o cérebro não pode efetivamente enviar o "Wake up!" sinal quando o bebê experimenta baixos níveis de oxigênio.

Os autores do estudo acreditam que esta é mais provável defeito genético.

Embora os resultados deste estudo não mostrar ou não SIDS podem ser prevenidas, o estudo é um ponto de partida para a descoberta das técnicas de diagnóstico que pudesse identificar as crianças que estão em alto risco para a síndrome.

Neste momento, os neurônios com defeito só pode ser encontrado durante a autópsia.

fonte
\/
HowStuffWorks Brasil