5 de jun de 2009

Como Denunciar e Interagir com o Criminoso

sexta-feira, 16 de janeiro de 2009 - 08h15
Professor hamburguense é preso em flagrante por pedofilia em SC
Marcus Monteiro de Souza, 34 anos, foi detido no momento em que assediava uma menina de 11 anos pela Internet.
Hamburguense preso em flagrante por pedofilia em Santa Catarina
- O professor de Novo Hamburgo Marcus Monteiro de Souza, 34 anos, foi preso no momento em que assediava uma menina de 11 anos pela Internet, na tarde de quarta-feira.
Ao ser surpreendido em seu gabinete na escola de informática que gerencia, em Orleans, no sul catarinense, tentou desligar o notebook e chegou a entrar em luta corporal com policiais.
O flagrante foi executado com a ajuda do pai da vítima, após uma semana de monitoramento das investidas contra a criança, moradora de Araranguá, a 150 quilômetros.
Souza saiu algemado da escola na frente dos alunos.
Há três anos, conforme a Polícia, Souza deixou Novo Hamburgo e foi para Orleans, onde assumiu a gerência de uma escola de informática com unidades franqueadas em todo País.
“Estamos apurando se ele usou de seus conhecimentos para atrair outras meninas”, declara o coordenador da Central de Polícia de Araranguá, delegado Jorge Giraldi.
Segundo ele, Souza foi a uma feira em Araranguá, no início de dezembro, onde conheceu a vítima, estudante da quinta série.
“Ele se colocou à disposição para ensinar computação à criança, e ela, de forma inocente, ficou fascinada com a atenção do professor.”
Provas
Além do notebook do indiciado apreendido, a Polícia tem como provas as mensagens e telefonemas mantidos com a estudante entre 7 de janeiro e quarta-feira.
“Ele expôs a menina a contatos de forte conotação sexual.
Assediar já é pedofilia.
Agora vamos periciar seu computador para ver se há imagens criminosas de crianças”, observa o delegado.
Pelo indiciamento de quarta, o hamburguense pode pegar de um a três anos de prisão.
“Quando o flagramos, sabia que estava fazendo bobagem.
Fechou o computador e disse que era a primeira vez”, frisa Giraldi.
Sob olhares perplexos dos alunos, Souza foi levado para uma delegacia. Segundo a Polícia, ele não quis advogado.
Está recolhido no Presídio Santa Augusta, em Criciúma.
“Fomos para a escola do indiciado já com um mandado de prisão pela Comarca de Novo Hamburgo, por não pagar pensão alimentícia a um filho pequeno”, acrescenta Giraldi.
O delegado salienta os cuidados que se deve ter com crianças na Internet.
“É preciso ficar atento.Até o advento do computador, tinha que se preocupar com os filhos na rua.
Agora também dentro de casa.”
Pai desabafa:
"Tive que ter sangue frio para ver isso"
De acordo com o pai da vítima, um representante comercial de 32 anos, o primeiro contato do acusado com sua filha aconteceu no último dia 7.
A vontade era quebrar a cara dele, mas fui orientado pela Polícia a acompanhar tudo até conseguir o flagrante, que finalmente aconteceu nesta quarta”, declarou o pai, ontem à tarde, em entrevista ao Jornal NH.
Como o acusado entrou em contato com sua filha?
Ela foi com a mãe a uma feira de informática em Araranguá, no início de dezembro, onde esse professor deu palestra a crianças sobre como montar e desmontar um computador.
Minha filha ficou muito contente, se sentiu importante com o aprendizado.
Contou que o professor pediu para chamar no MSN (programa de bate-papo pela Internet) quando tivesse qualquer dúvida.
Não demos bola, afinal, era um professor de uma rede de informática muito conhecida.
Quando foi o primeiro contato?
Minha filha estava no MSN com amiguinhas, onde tem uma foto sua.
Ela é uma criança, magrinha.
O cara estava na rede e a reconheceu.
Chamou para um bate-papo e a minha filha, orgulhosa, nos falou que era o novo professor.
Mas quando ele perguntou se estava sozinha, desconfiamos.
Pedimos para ela dizer que sim e ficamos acompanhando.
E aí começou a... nem sei o que dizer.
Primeiro queria ver o corpo dela inteiro para ter certeza que estava sozinha.
Instruímos que sim.
Aí disse para ela ficar nua.
Minha filha disse que tinha vergonha e desligou. sso por telefone, enquanto visualizava no computador.
O que o senhor fez?
A vontade era ir para Orleans quebrar esse cara.
Estava nervoso.
Amigos me orientaram a manter a calma.
Procurei a Central de Polícia aqui de Araranguá, onde o delegado me instruiu a ficar perto, acompanhando, até conseguir um flagrante.
Ele (professor) queria vir até Araranguá para sair com ela.
Perguntava se já tinha beijado, namorado, transado.
Disse que seria o primeiro homem dela, que ia fazer com carinho.
Falou em cremes, vaselina e obscenidades que prefiro não detalhar.
Eu tive que ter sangue frio para ver isso.
Ver este monte de bobagem que ele teclava.
Ele disse para minha filha que já fez pessoalmente com uma menina de 13 anos.
E o flagrante?
O cara continuou insistindo.
Na quarta-feira, entrou de novo.
Queria ver minha filha nua e fazer sexo virtual pela web cam.
A Polícia já estava a postos no trabalho dele e o flagrou no computador.
O advogado que defender esse sem-vergonha tem que pensar em seus filhos ou que um dia poderá ter uma filha.
O juiz também tem que pensar nisso.
E os pais devem ficar sempre atentos às crianças no computador.
É uma janela aberta para pedófilos, bandidos.
Deem livros para as crianças.
Como está a menina?
Chocada.
Não quer mais saber de computador.

Nenhum comentário: